Fábio Faria pede atenção pública e cuidados da população com doenças infectocontagiosas
Fábio Faria pede atenção pública e cuidados da população com doenças infectocontagiosas

O deputado Fábio Faria (PSD-RN) tem revelado sua preocupação com incidência de doenças infectocontagiosas no Rio Grande do Norte, uma delas, o sarampo, já erradicada, mas que vem apresentando novas vítimas no estado.
Na opinião do parlamentar “é preciso que as autoridades públicas continuem trabalhando arduamente para o combate dessas doenças, com apoio imprescindível da população na adoção de cuidados preventivos”.

Sarampo

O retorno do sarampo entre as doenças que já haviam desaparecido no Rio Grande do Norte tem provocado justificado alerta das autoridades locais e do país, uma vez que não se trata apenas de uma realidade a atingir apenas o estado.
A respeito do sarampo, a Secretaria Estadual de Saúde Pública do RN (Sesap) confirmou semana passada o quarto caso de sarampo. Trata-se de uma mulher de 19 anos que teve contato com o homem que foi o primeiro caso confirmado de sarampo no RN. Ainda segundo a Sesap, outros 29 casos estão em investigação.
O sarampo é uma doença contagiosa que aparece com febre e manchas no corpo, e o tratamento é feito para atenuar estes sintomas. A doença é causada por um vírus chamado Morbillivirus, e é uma das principais responsáveis pela mortalidade infantil em países subdesenvolvidos.
Mas, não é apenas o sarampo que preocupa o Rio Grande do Norte, uma vez que a Chikungunya, a zika e a dengue mostram-se em nível preocupante, no estado, a mobilizar o poder público.

Dengue

O boletim epidemiológico aponta ainda que o Rio Grande do Norte é o terceiro estado com mais casos registrados de dengue no Nordeste: são 24.635. O estado fica atrás de Pernambuco, que tem 31.056 casos, e da Bahia, que registrou 58.956.
Em incidência, no entanto, o RN novamente fica na primeira posição desse ranking no Nordeste, com 708,1 casos por 100 mil habitantes. A incidência de Pernambuco é de 327 e da Bahia de 398.
A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus, sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo. É transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais. Existem quatro tipos de dengue, de acordo com os quatro sorotipos: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4.

Chikungunya

Quanto a Chikungunya, o estado tem 8.899 casos prováveis da doença de janeiro a agosto deste ano. O Rio de Janeiro encabeça a lista com 76.776 casos. Em todo o país foram 110.627 casos de chikungunya.
Os dados fazem parte do Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde publicado semana passada com informações sobre as arboviroses transmitidas pelo Aedes Aegypti em todo o Brasil.
Embora o levantamento, neste período não tenha registrado nenhuma morte por chikungunya no RN, 28 casos de morte estão investigação no estado. Os dados refletidos no boletim são referentes ao período de 30 de dezembro do ano passado até o dia 24 de agosto deste ano.
Febre Chikungunya é uma doença parecida com a dengue, causada pelo vírus CHIKV, da família Togaviridae. Seu modo de transmissão é pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo mosquito Aedes albopictus.

Zika

Enquanto isso, para os casos de zika, o Rio Grande do Norte é o segundo estado do país com maior incidência: são 27 casos por 100 mil habitantes no estado, atrás apenas do Tocantins, que tem 32,3 casos.
Em números absolutos, o dado também é alto: o RN é o terceiro com mais casos da doença entre todas as federações do país. Ao todo, são 941 casos prováveis, ficando atrás apenas da Bahia, que tem 1.066 e do Rio de Janeiro, que tem 1.570.
Zika Vírus é uma infecção causada pelo vírus ZIKV, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue da febre chikungunya.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Fechar Menu